CFTV IP – quatro câmeras em dois minutos

Por Claudemir Martins

cftvCom o protocolo IP, o segmento de vigilância por vídeo (CFTV) evoluiu rápido e hoje pode ser considerado convergente e sofisticado, integrando-se a sistemas de controle de acesso, biometria, armazenamento na nuvem – além de oferecer recursos de reconhecimento de íris, detecção de calor/temperatura, de movimento etc. Para lidar com tecnologias cada dia mais avançadas, é importante que haja frequente atualização do conhecimento sobre essas evoluções – o que na prática é mais simples do que parece.

Foi disseminada no mercado a ideia de que os sistemas analógicos são mais simples que os IP. Para executar gravação de imagens, por exemplo, é necessário apenas conectar cabos coaxiais das câmeras às entradas do gravador, e com o uso de um mouse e um monitor, realizar as configurações de gravação. Enquanto que em um sistema IP é necessário ser um expert em redes de computadores para fazer a instalação e configuração. Esse conceito está errado!

As câmeras e gravadores IPs atuais permitem uma instalação tão simples quanto ao de um sistema analógico convencional. Testes realizados com pessoas sem nenhum conhecimento técnico de CFTV ou de redes, mostraram que é possível colocar um sistema de gravação IP com 4 câmeras para funcionar em cerca de dois minutos, incluindo nesse tempo a conexão de cabos e configurações de data e hora, senha e idioma.

Já encontramos no mercado pacotes de CFTV que seguem o conceito selfservice ou faça você mesmo, compostos por câmeras, gravadores, cabos e até mesmo parafusos para que o próprio consumidor instale seu sistema de monitoramento sem a necessidade de contratar um profissional especializado. Neste caso, o gravador alimenta as câmeras e fornece um IP para cada uma delas automaticamente – e o usuário não precisa nem mesmo saber o que é um endereço de rede.

É natural resistirmos ao novo, porém vale lembrar que é inevitável que as novas tecnologias eliminem as tradicionais e que as empresas procurem por profissionais que estejam constantemente atualizados.

Tenho como certa a morte dos sistemas de CFTV analógicos, mas não sei precisar em quanto tempo, principalmente no Brasil. O número de projetos que consideram o uso da tecnologia IP como a melhor solução a ser proposta a um cliente já supera sensivelmente o analógico. Recursos como análise inteligente de vídeo embarcada na própria câmera, alta resolução, redundância e disponibilidade de diferentes plataformas para gerenciamento de imagens, entre outros, fazem com que essa tecnologia seja a preferida.

Em suma, podemos considerar um mito a complexidade dos sistemas de CFTV IP e os técnicos e engenheiros – acostumados com os antigos sistemas analógicos – não precisam temer o futuro.

*Claudemir Martins é gerente de Treinamento da Samsung Techwin para América Latina.

Fonte; IPNews

http://ipnews.com.br/artigo-cftv-ip-quatro-cameras-em-dois-minutos/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *